Guerrilheiros dos Jardins


Plante algo

Plante algo, uma semente grande ou pequena, plante!!!



Escrito por guerrilhajardim às 20h10
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Para Greenpeace, veto parcial ao Código Florestal foi 'insuficiente'

 

A organização não-governamental ambiental Greenpeace se declarou decepcionada com o anúncio dos 12 vetos presidenciais ao Código Florestal nesta sexta-feira. A organização esperava um veto total à proposição que chegou do Congresso Nacional e achou a decisão tomada pela presidente Dilma Rousseff "insuficiente".

"O que a gente queria era que existisse o veto total. Essa é a única afirmação que a gente tira daqui: o veto total não vai ser feito nessa lei, vão ser feitas reformas nessa lei. Isso é absolutamente insuficiente", avaliou o coordenador da campanha Amazônia do Greenpeace, Márcio Astrini.

Para ele, a entrevista coletiva convocada para explicar as alterações feitas pela presidente não foi esclarecedora. "A gente esperava que o governo divulgasse alguma coisa, vimos apenas um discurso do governo e a conclusão que a gente chega é de que hoje o Brasil dorme sem saber qual é o texto do código florestal que vai ser alterado pela caneta da Dilma", disse.

"É uma decepção não só nossa, não só dos ambientalistas, mas também de toda a população brasileira. Primeiro, por a Dilma não ter vetado na integralidade o texto e segundo porque divulgou que haverá vetos, mas não divulgou qual a extensão desses vetos e qual será a nova lei", lamentou Astrini.

Durante a entrevista coletiva, o advogado-geral da União explicou que o governo não iria adiantar à imprensa a lista dos artigos vetados antes de comunicar ao Congresso Nacional. A mensagem do Executivo ao Legislativo só será feita na próxima segunda-feira.

 fonte: http://www.correiodoestado.com.br/noticias/para-greenpeace-veto-parcial-ao-codigo-florestal-foi-insufic_150246/



Escrito por guerrilhajardim às 14h41
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




o fim do código florestal e a ganância dos latifundiários

O Brasil na contra mão da história



Escrito por guerrilhajardim às 22h23
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




ESCADA PARA O VERDE

NO LAZARETO A VEGETAÇÃO EM AÇÃO

 

Esta foto foi tirada no Parque Estadual da Ilha Grande.

A escada, provavelmente é de alguma edificação de um antigo presídio que existiu no local.

É lindo ver a vegetação retomando o espaço. Vale a pena conhecer.

abço

zinum san

foto: zinum san



Escrito por guerrilhajardim às 17h46
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Duas novas árvores pra cidade

A praça é da árvore assim como o céu é do condor.....

 

No feriado de páscoa eu e minha mãe fomos plantar estas duas árvores.

Uma suiná, e uma mimosa, todas da minha produção (lenta). Árvore é vida.

foto: Zinum San



Escrito por guerrilhajardim às 12h01
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




A Mata Atlântica sendo engolida pela cidade de São Paulo

Vista da Pedra Branca, Parque Estadual da Cantareira, São Paulo.

O percurso até a rocha é de aproximadamente 6 km, e vale a pena.

A vista é fantástica, pena é ver a cidade comendo a floresta da Cantareira, um

dos últimos fragmentos de Mata AtLântica da cidade de São Paulo.

foto: zinum san



Escrito por guerrilhajardim às 18h04
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




POSTO DE GASOLINA SENDO ENGOLIDO PELA FLORESTA AMAZÔNICA

A Floresta contra-ataca.

 

Como ficaria o mundo sem a presença do homem?

Talvez no início seria como na foto.

Esta foto foi tirada pela Isa lá em Rondônia.

Um respire perante tanta devastação. Disse que o que mais viu foi

plantação de soja....

 



Escrito por guerrilhajardim às 19h48
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Pelas grades da Cidade vejo uma árvore

Ela secou de tédio



Escrito por guerrilhajardim às 19h07
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Mini Jardim em Tampinha de Garrafa

Conto em Tampa de Garrafa

Todos os dias esvaziava uma garrafa

fazia um jardim na tampinha

e a jogava no jardim

nunca pediu resposta,

e quando ela chegou,

foi engolida por carnívoras dos milhares de jardins em tampinha no quintal.

Foto: zinum san e sândalo guerrilha jardim

Este projeto teve início numa conversa com o Rodrigo Juarez, é a Natureza em todas as partes,

se os físicos podem criar Universos de escrivaninha, podemos criar jardins em tampinhas de garrafas.

abraços

zinum san



Escrito por guerrilhajardim às 11h32
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




"Progresso"

O "progresso humano" parte 1.

a parte que cabe as nossas plantas.

foto: zinum san para guerrilheiros dos jardins.



Escrito por guerrilhajardim às 18h22
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Árvore com Licenciamento

Árvore com Placa

A cidade de São Paulo está tão motorizada

que até árvore tem placa.

tirei esta foto na avenida mazzei. Onde vamos parar?

sândalo



Escrito por guerrilhajardim às 17h22
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




BOLAS DE SEMENTE E VILA DA PAZ

 BOLAS DE BARRO COM SEMENTES PRA AGRICULTURA NATURAL

 

Fui convidado a participar de um interessante evento, Sábado Ecológico,

no Centro de Educação para Sustentabilidade de Alphaville, com o grupo

Vila da Paz, do Gaia.

Os aprendizados guardo comigo, pois não conseguiria passá-los neste blog,

fica aqui uma linda foto de Bolas de Sementes, feita pela fotógrafa

Elaine, (www.elainecimino.com.br), pudemos fazer dezenas de Bolas, com a grande

ajuda do Roque, algumas sem a forma de bola (quibes, cilindro...).

Espero que as sementes surjam com muita alegria e gerem frutos!

Sândalo

a foto é de www.elainecimino.com.br



Escrito por guerrilhajardim às 13h44
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Utopia para o século 21

Este trecho abaixo faz parte da Conclusão do livro: “Desenvolvimento Sustentável, o desafio do século 21, de José Eli da Veiga, professor da faculdade da economia, administração e contabilidade da universidade de são paulo.

            O livro é muito interessante e esclarecedor, sempre mostrando as visões mais opostas e uma visão do meio em relação ao desenvolvimento sustentável, mostra que pra entender o desenvolvimento sustentável é necessário, antes de mais nada, compreender o que é desenvolvimento, e o que é sustentabilidade. O livro é farto em citações, da ecologia à economia, geografia, história.

            Aprendi muito lendo este livro, principalmente que é importante sabermos a evolução do pensamento econômico, e como alguns economistas ecológicos foram jogados para debaixo do tapete, que é o caso de Georgescu-Roegen que “lançou o alerta sobre o inexorável aumento da entropia. Baseado na segunda lei da termodinâmica, ele assinalou que as atividades econômicas gradualmente transformam energia em formas de calor tão difusas que são inutilizáveis...” (esta parte merece um post a parte); quanto aos biólogos, ecólogos e ambientalistas serem jogados pra escanteio isso todo mundo sempre soube. Vamos ao trecho do livro, boa leitura.

 

            UTOPIA PARA O SÉCULO XX1

            Há um novo requisito que exige ajustes em ultrapassadas concepções do desenvolvimento: a sustentabilidade ambiental do crescimento e da melhoria da qualidade de vida. Trata-se de um imperativo global que chegou para ficar, em virtude da percepção de que a biosfera, em níveis global, regional, nacional e local, está sendo submetida a pressões insuportáveis e prejudiciais para o próprio desenvolvimento e as condições de vida. Como diz Sunkel (2001: 295), “ este é um tema que as classes dirigentes da nossa região não poderão adiar sob pena de sofrer graves conflitos internos e sérias dificuldades internacionais”.

            A noção de desenvolvimento sustentável, de tanta importância nos últimos anos, procura vincular estreitamente a temática do crescimento econômico com a do meio ambiente. Para compreender tal vinculação, são necessários alguns conhecimentos fundamentais que permitem relacionar pelo menos três âmbitos: a) o dos comportamentos humanos, econômicos e sociais, que são objeto da teoria econômica e das demais ciências sociais; b) o da evolução da natureza, que é objeto das ciências biologibiológicas, física e químicas; c) o da configuração social do território, que é objeto da geografia humana, das ciências regionais e da organização do espaço. É evidente que esses três âmbitos se relacionam, interagem e se sobrepõem, afetando-se e condicionando-se se mutuamente. A evolução e transformação da sociedade e da economia no processo de desenvolvimento alteraram de várias manerias o mundo natural. E esse relacionamento recíproco se materializa, se articula e se expressa por meio de formas concretas de ordenamento territorial (Sunkel, 2001: 296).

            No entanto, em contraste com essa óbvia percepção empírica é patente o generalizado desconhecimento das formulações conceituais básicas da ecologia e das leis fundamentais da termodinâmica que permitem, precisamente, relacionar as diferentes disciplinas científicas que se ocupam desses três âmbitos. É nisso, e nas limitações inerentes ao enfoque convencional da economia, que reside um dos problemas centrais para a compreensão do desenvolvimento sustentável. Pior, depois que entrou em moda, o adjetivo “sustentável” substitui na linguagem do dia-a-dia algumas noções muito próximas, como “firme” ou “durável”. Essa banalização faz com que ele acabe sendo muito usado para qualificar um crescimento econômico que não seria passageiro, instável ou oscilante, ou mesmo para se referir à consistência dos mais variados tipos de fenômenos. Assim, até em fofocas sobre algum casal famoso arrisca-se ouvir inquietações sobre a sustentabilidade do relacionamento....

            O debate sobre o desenvolvimento sustentável também passou a girar em torno dessa mesma vaga idéia de durabilidade, mesmo que em sua gênese o sentido tenha sido bem mais preciso. A questão era a de saber se – em que condições – tal processo poderia não ser comprometido pela destruição de seus próprios alicerces naturais. Na verdade, a expressão desenvolvimento sustentável foi a que acabou se legitimando para negar a incompatibilidade entre o crescimento econômico contínuo e a conservação do meio ambiente. Ou ainda, para afirmar a possibilidade de uma conciliação desses dois objetivos, isto é, de crescer sem destruir. Essa legitimidade foi conquistada em oposição à idéia de “ecodesenvolvimento”, preferida por algum tempo pelos principais articuladores do processo internacional que levou à Conferência do Rio, em 1992.”...

 

            Bom, ai foram duas páginas do livro, espero que estimule a leitura dos temas relacionados.



Escrito por guerrilhajardim às 14h34
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Jardim nos sapatos

Jardim dentro de sapatos

Esse post tem sua origem no http://greenshortstories.blogspot.com/ Green short stories,

da Tati.

A Natureza costuma aparecer em locais que menos esperamos,

e quando há ajuda das pessoas plantas podem enfeitar e dar vida

a algo aparentemente sem utilidade.

É o caso dos jardins de sapato em Alamo Square.

"Mini rosas plantadas dentro dos sapatos vermelhos de bebê, cebola

e salsinha em bota de cowboy, suculentas em tênis, patins com tulipas,

salto alto e margaridas. É curioso ver que as pessoas respondem a um tipo de beleza

que normalmente a gente não chama exatamente de belo.

O jardim de sapatos é o lugar onde o belo está justamente em dar

dignidade a essas coisas que a gente chama de velho e joga fora."

fotos e fonte:http://greenshortstories.blogspot.com/

 



Escrito por guerrilhajardim às 17h30
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Benefícios de uma árvore



Escrito por guerrilhajardim às 16h04
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
Outros sites
  Guerrila Gardening.org
  Os Verdes em Lisboa
  Ecoblogue
  JardinagemLibertaria
  Tudo Sobre Plantas
  EcoTerra
  Árvores do Brasil
  Coletivo Pormivida
  Blog Timblindim
  Mulher Verde
  Green Short Stories
  Árvores Vivas
  Outro Mundo
  Zine Tralala
  Neorama
  Blog Tudo Sobre Plantas
  Vândalo Verde
  ClicAmbiente
Votação
  Dê uma nota para meu blog